FANDOM


Lorkhan, também conhecido como Shor, Lorkhaj, Shezarr e Sep, é o responsável direto pela existência de Nirn.

De acordo com a lenda, Lorkhan morreu há muito tempo, dando sua vida para criar Nirn. Portanto, ele não teve muita influência direta nos eventos da Terceira Era, embora ele tenha sido o responsável indireto por pelo menos três dos maiores quase desastres nas últimas décadas da Terceira Era, e seus restos estão conectados com o desaparecimento dos Dwemer.

CriaçãoEditar

É dito que Lorkhan foi gerado por Sithis para destruir o universo, após os Aedra terem escravizado tudo que Sithis criara[1]. Não se sabe se isto é verdade, embora a Dark Brotherhood trate de defender essa hipótese.

HistóriaEditar

Lorkhan é um dos dois Aedra (sendo o outro Akatosh) a aparecer em todas as mitologias conhecidas de Nirn. Porém, opiniões sobre ele variam dramaticamente de raça para raça. Geralmente, Lorkhan é considerado um inimigo dos Mer, e um patrono e herói dos homens. A cultura de Cyrodiil o chma de Shezarr, O Deus Desaparecido, refletindo o fato que somente ele dos Aedra verdadeiramente morreu e desapareceu.

Na mitologia mer, Lorkhan é chamado de O Trapaceiro, e os mer não o veem com bons olhos. Eles o culpam por ter enganado os outros Aedra para desistirem de suas divindades. Isso inclui aqueles que se tornariam Ehlnofey e, portanto, os Altmer, que agora culpam Lorkhan diretamente por sua mortalidade. Os Dunmer tem uma visão menos rancorosa de Lorkhan. Já que eles acreditam que sua mortalidade é um teste de sua força, e que estão destinados a perderem sua mortalidade, Lorkhan é simplesmente um dos obstáculos que os Dunmer tem que superar.

Homens, entretanto, não acreditam que descendam dos Aedra. Eles acreditam que foram criados do nada por Lorkhan, e portanto lhe devem sua completa existência. Na opinião deles, Lorkhan é o herói da humanidade, e eles desaprovam seu mau tratamento pelas outras raças.

Coração de LorkhanEditar

Heart of Lorkhan.png

O coração de Lorkhan, como aparece em The Elder Scrolls III: Morrowind.

Ainda mais do que o Amuleto dos Reis, o legado mais influente de Lorkhan foi seu coração. Lendas Altmer detalham a raiva dos Aedra remanescentes em relação a Lorkhan após Nirn ter sido criada. Como punição, Trinimac arrancou seu coração, com intuito de destruí-lo. Entretanto, os Aedra estavam presentes em Nirn, e Nirn era os restos do corpo de Lorkhan. Portanto, seu coração era literalmente o coração do mundo, e não poderia ser destruído. Ao invés disso, Auri-El arremessou o coração em Nirn, com a intenção de interrá-lo para sempre.

O Coração não permaneceu escondido. Durante a Primeira Era, enquanto escavando cavernas embaixo da Montanha Vermelha em Morrowind, os Dwemer localizaram o coração de Lorkhan. Na época, os Dwemer estavam com o objetivo de alcançar divindade pelo esforço combinado de magia e ciência, e seu Sumo Sacerdote Kagrenac acreditava que o Coração de Lorkhan era a chave.

Kagrenac prosseguiu para construir uma grande criatura mecânica, um golem chamado Numidium, o qual ele pretendia alimentar com o coração de Lorkhan. Antes que isso pudesse ser feito, os Chimer atacaram os Dwemer, uma batalha a qual resultou no desaparecimento dos Dwemer. Entretanto, Numidium sobreviveu ao desaparecimento de seu criador, e tomaria parte em um papel fundamental em muitos eventos futuros.

O primeiro uso de Numidium aconteceu durante a Segunda Era, quando emprestado por Vivec para Tiber Septim para lhe ajudar a conquistar Tamriel. Nesse ponto, entretanto, Vivec e o Tribunal mantinham controle do Coração de Lorkhan, então outra fonte de energia foi usada para o golem (especificamente, a alma do Battlemage Imperial Zurin Arctus). O golem reapareceria na Terceira Era, centenas de anos depois, quando Arctus reaparece e tenta usar o golem para vingança.

O encontro final com o Coração de Lorkhan aconteceu durante a crise de Dagoth Ur. Foi aqui que o poder do Coração foi revelado, essensialmente validando muitas das reinvidicações de Kagrenac. Após a derrota dos Dwemer, o Tribunal tinha usado o Coração para atingir um estado quase-divino. Contato com o Coração lhes garantia imortalidade, pelo menos enquanto eles mantivessem contato frequente. Também garantia poderes lendários; Vivec inundou toda Morrowind, supostamente dando para a raça Dunmer a habilidade de respirar na água primeiro, para afastar uma invasão.

Indoril Nerevar era o general Chimer responsável pelo ataque e derrota final dos Dwemer na Montanha Vermelha. Quando a batalha tinha sido concluída, Nerevar ordenou Dagoth Ur a ficar para trás e proteger o Coração, enquanto ele e o Tribunal (até então Chimer mortais) descobrissem um plano sobre o que fazer com o artefato. Quando eles retornaram, descobriram que Dagoth havia enloquecido brincar com o poder do Coração. Uma batalha estourou entre Nerevar e o Tribunal contra Dagoth Ur. Dagoth eventualmente perdeu o duelo, o qual terminou com Nerever sendo ferido mortalmente. É aqui que relatos diferem. Uma lenda diz que após encontrar o Tribunal e fazê-los jurarem nunca usar as ferramentas de Kagrenac no Coração, eles mataram Nerevar. Outro relatório simplesmente diz que Nerevar morreu após fazê-los jurar para Azura, após o qual eles utilizaram as ferramentas, contra seu juramento, e se tornaram os deuses vivos de Morrowind (o que fez Azura transformar a raça Chimer na raça Dunmer). Foi somente centenas de anos depois que Nerevarine, Nerevar renascido, foi capaz de destruir o Coração, após a segunda ascensão de Dagoth Ur. Isso fez com que o Tribunal perdesse sua imortalidade também, simplesmente fazendo deles mortais incrivelmente poderosos. Após perder sua imortalidade, Almalexia matou Sotha Sil e foi morta por Nerevarine. Esse evento fez com que Vivec fosse o único membro do Tribunal vivo durante a Terceira Era e terminou a influência que o Coração tivera nos homens e mer.

Lorkhan e DaedraEditar

Há muitos comentários feitos em The Elder Scrolls IV: Oblivion que são estranhos e contraditórios. Muitas declarações feitas por Mankar Camoran em seu Paraíso apontam que Lorkhan de fato fez Tamriel, mas Lorkhan estava perdido por um motivo desconhecido. Mankar Camoran também diz que Tamriel não é um reino para os mortais ou para povos comuns, mas é na verdade outro reino do Oblivion. Ele diz que é um reino de Oblivion que uma vez pertenceu a Mehrunes Dagon, o Príncipe Daedra da Destruição, Mudança, Energia, e Ambição. Mankar Camoran explica que Lorkhan, tendo perdido seu mundo criado, estava indisposto a deixar o Príncipe da Destruição reinvidicá-lo. Mehrunes Dagon não está invadindo Tamriel, diz Mankar Camoran, mas está vindo para reclamar seu mundo há muito perdido. É claro que Mankar pode não ser uma fonte confiável nesse assunto.

TríviaEditar

Ver tambémEditar

ReferencesEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória